sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Black Sabbath - Vol. 4 (1972)
























Vol. 4 é o quarto álbum da banda britanica de Heavy Metal Black Sabbath, lançado em Setembro de 1972. O álbum era pretendido originalmente ser chamado de Snowblind, onde uma das músicas do LP se referia ao uso de cocaina, mas o nome Vol. 4 foi mantido. O LP contém vários clássicos do Sabbath, como "Tomorrow's Dream", "Snowblind", "Changes" e "Supernaut".

Em Junho de 1972, o Black Sabbath, formado por Tony Iommi (guitarra), Bill Ward, (bateria), Geezer Butler (baixo), e no vocal Ozzy Osbourne, se juntou em Los Angeles, California para começar a trabalhar o seu quarto álbum na Record Plant Studios. O processo de gravação sofreu vários problemas, vários devidos ao abuso de drogas pelos integrantes da banda, principalmente Bill Ward. Vamos a análise:

Wheels of Confusion/The Straightener. A música começa com um ótimo solo inicial, dando direção ao riff principal da música e o vocal de Ozzy. Como as letras expressam, trata-se de uma música de uma desilução de ver a vida, acordando para uma realidade difícil de aceitar rejeitando o passado ilusório. Em volta da metade da música, muda-se o riff e vem um solo em forma de background, bem discreto. Depois volta-se ao riff principal. Após o fim da música inicial, começa The Straightener, que vem em uma forma de epílogo, totalmente instrumental, com riffs levando a um magistral solo. Muito gostosa de se ouvir.

Tomorrow's Dream. Música gravada em C# (boa parte das músicas do LP foram gravadas em afinação C#), com a guitarra de Iommi bem distorcida; tem um riff diabolico e grudento, que viriam a expirar muitas bandas no futuro. Líricas falam de começar uma vida nova, deixar as tristezas do passado para trás, e alcançar o sonhos do amanha em forma de realidade. O solo no meio da música também é bem legal.

Changes. É uma música bem calma, uma balada do LP; Letras falam de um amor perdido, e o efeito que isso teve na pessoa da lírica. O uso de teclado é muito bem-vindo.

FX. Uma pequena música instrumental. É consistida de efeitos de ecos que aparentemente eram do crucifixo do guitarrista Tony Iommi, que ele usava sobre seu pescoço, batendo contra sua guitarra e adicionando o efeito de eco, ganhando assim o título FX.

Supernaut. Tem um dos melhores riffs do LP, o slide que o Iommi faz, é colossal. Bom solo também. Letras bem aleatórias, a ponto de uma hora estar falando sobre querer tocar o sol e não morrer ("I want to touch the sun, but I don't need to die") e outra hora estar falando de não se ter uma religião ("Got no religion, don't need no friends, got all I want and I don't need to pretend."). É uma boa música no geral.

Snowblind. Esta música foca suas letras no uso de cocaina pela banda, com bons riffs, um bom chorus ("My eyes are blind, but I can see, the snowflakes glisten on the tree, the sun no longer sets me free, I feel there's no place freezing me") e um bom solo.

Cornucopia. O início dessa música é devastador, deixando no chinelo todas essas bandas de Black Metal que se dizem malignas, em um riff de meio minuto que consegue ser muito mais tenebroso que todas elas juntas. Depois entra o riff principal, muito bom por sinal, e na metade da música o riff muda, em uma mistura de harmonias com solos (?) se mantendo assim até o retorno do riff principal. Não tenho idéia sobre o que as letras falam.

Laguna Sunrise. Uma ótima balada instrumental, uma música calma tocada em dois violões (ou duas guitarras acústicas), considero melhor que Changes. Lembra Bron-Yr-Aur do Led Zeppelin.

St. Vitus Dance. O riff principal da música estranhamente lembra uma dança, mas não sei explicar de qual estilo. As letras falam de uma paixão amorosa. Estranho, mas a música não contém solo.

Under the Sun/Every Day Comes and Goes. A música mais doom-stoner-evil-badass do LP, o riff inicial é de arrepiar, e o riff principal de Iommi aliado ao vocal de Ozzy é fantasmagoricamente perfeito. Pessoas religiosas podem se ofender ouvindo essa música, mas eu como sou ateu, é só alegria! Letras niilistas, dando foco na crença em você mesmo, não em religião alguma. Chorus ótimo também, com um solo final devastador.

Esse LP, junto com os álbuns "Black Sabbath" (1970), "Paranoid" (1970) e "Master of Reality" (1971), ajudaram a moldar todo o género doom-stoner metal/rock dos anos 90 em diante, além de influenciarem MUITO o futuro do Heavy Metal. É indispensável para quem gosta de boa música.

Nota: 10/10.

Tracklist: (Todas as músicas foram escritas por Geezer Butler, Tony Iommi, Ozzy Osbourne e Bill Ward.)
  1. "Wheels of Confusion/The Straightener" – 8:01
  2. "Tomorrow's Dream" – 3:11
  3. "Changes" – 4:44
  4. "FX" – 1:43
  5. "Supernaut" – 4:49
  6. "Snowblind" – 5:33
  7. "Cornucopia" – 3:54 
  8. "Laguna Sunrise" – 2:55
  9. "St. Vitus Dance" – 2:29
  10. "Under the Sun/Every Day Comes and Goes" – 5:52






Um comentário:

  1. Black Sabbath \,,/

    É clássico!!

    Totalmente recomendado!!

    Bom texto!
    Thai

    ResponderExcluir